Seminário de combate à pedofilia em Noronha

Foto: Ana Clara Marinho/TV Globo
Foto: Ana Clara Marinho/TV Globo

Palestras e debates compõem a programação do seminário “Noronha em ação contra a pedofilia”, que acontece na segunda-feira (20) e na terça-feira (21) em Fernando de Noronha. As atividades ocorrem no auditório da Escola Arquipélago e são abertas a toda a comunidade.

O evento é promovido pelo Conselho Tutelar, pela Administração do Distrito e pelo Ministério Público. Os dados de agressões contra menores de idade são sigilosos, mas a presidente do Conselho Tutelar da ilha, Maria do Carmo Menezes de Almeida, afirma que o número de denúncias de pedofilia tem aumentado em Noronha.

“Este é o segundo ano do evento e, desde 2017, registramos um crescimento de cerca de 30% nas denúncias de casos de pedofilia. Na maioria das vezes, os abusos sexuais contra crianças e adolescentes começam dentro de casa, com parentes, amigos, conhecidos. É preciso ficar atento”, declara.

A programação do seminário conta palestra da promotora Cristiane Gusmão Medeiros, que já foi representante do Ministério Público em Noronha por cinco anos. Ela apresenta o tema “Pedofilia: reflexão necessária em tempos de internet veloz”.

“A internet merece nossa preocupação por conta do acesso fácil, rápido e como meio de seduzir a atenção das nossas crianças e dos nossos adolescentes. Ao mesmo tempo, a internet abre caminhos positivos para avançar, são os dois lados”, afirma.

A outra palestra do seminário traz como tema “Prevenção e combate aos crimes de pedofilia” e é ministrada pelo promotor Carlos José e Silva Fortes, de Minas Gerais.

Serviço

Seminário “Noronha em ação contra a pedofilia”

Auditório da Escola Arquipélago – Vila Floresta Nova, s/n, Fernando de Noronha

Segunda-feira (20):

  • 9h – Abertura do evento
  • 15h – Palestra “Pedofilia: reflexão necessária em tempos de internet veloz”, da promotora Cristiane Gusmão Medeiros

Terça-feira (21):

  • 9h – Atividades com alunos da Escola Arquipélago
  • 15h- Palestra “Prevenção e combate aos crimes de pedofilia”, do promotor Carlos José e Silva Fortes

Entrada gratuita

Fonte: G1 PE