Em dia de mobilização pela educação, institutos educacionais param em apoio a manifestação

Foto: Reprodução/Internet

Nesta terça-feira (13), parte das instituições de ensino do Recife não teve aula, em apoio ao dia de paralisação em defesa da educação pública e contra a Reforma da Previdência, convocada por sindicatos e outras entidades. Há escolas sem funcionar na região central da capital, e universidades suspendem parcialmente as atividades.

A mobilização ganhou forma após o Governo Federal  editar um novo decreto com bloqueios orçamentários no final do mês de julho. O bloqueio extra prevê um contingenciamento de de R$ 348,47 milhões no Ministério da Educação, que se soma aos R$ 29,7 bilhões divulgados em março.

Instituições de ensino como Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), Centros de Artes e Comunicação, de Ciências Ciências Sociais Aplicadas e de Filosofia e Ciências Humanas, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), não houve aulas.

No complexo de escolas do Instituto de Educação de Pernambuco, localizado na região central do Recife, três das quatro unidades estavam sem estudantes nesta manhã: Sylvio Rabelo, João Barbalho e Sizenando Silveira. Próximo a elas, o Ginásio Pernambucano também não teve expediente.

O Conselho Universitário da Universidade de Pernambuco (Consun/UPE) emitiu comunicado apoiando o ato desta terça-feira “contra os cortes na educação e qualquer projeto que terceirize o financiamento da educação pública”. De acordo com a assessoria da UPE, cabe a chefia de cada centro decidir sobre a suspensão das aulas.

A UFPE e a UFRPE informaram que os sindicatos fizeram a convocação mas que cada servidor decide sobre paralisar as atividades.

A Universidade Católica de Pernambuco cancelou as aulas e atividades administrativas a partir das 17h desta terça-feira.