Nos siga nas redes sociais

Cotidiano

Descarte incorreto de medicamentos traz riscos para saúde pública e meio ambiente

Para facilitar acesso da população, Centro Universitário Estácio Recife instalou pontos de coleta em duas unidades

Publicado

em

O Brasil está entre os dez países que mais adquirem medicamentos no mundo. No entanto, estima-se que 20% do que é descartado acaba nas redes de esgoto ou no lixo comum. Segundo dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a população brasileira gera mais de 10 mil toneladas por ano de resíduos em medicamentos sem um sistema de descarte adequado. E o resultado deste cenário é trágico tanto para a saúde pública quanto para o meio ambiente.

 

“Seja por falta de informação ou conscientização, o fato é que grande parte das pessoas tem como hábito descartar medicamentos vencidos ou sem uso no lixo doméstico ou, até mesmo, nas privadas. Este é um problema grave, pois o uso inadvertido por terceiros ou até mesmo por animais pode resultar em reações adversas sérias, intoxicações e até morte”, explica Renata Fischer, farmacêutica e coordenadora do curso de Farmácia do Centro Universitário Estácio Recife.

 

Além disso, o descarte de medicamentos pelo esgoto ou até mesmo a absorção pelo solo nos aterros sanitários faz com que as substâncias químicas contidas nos produtos cheguem aos rios, córregos e lençóis freáticos, podendo contaminar a água que bebemos e até chegar à nossa comida. “Os antibióticos, então, são bastante preocupantes, pois se ingeridos por pessoas sem indicação médica podem desencadear resistência bacteriana a essas substâncias”, completa Renata.

 

Para que o descarte seja feito corretamente, o ideal é que os medicamento vencidos ou sem uso sejam entregues em locais específicos. Para facilitar o acesso à população, a Estácio Recife, por meio do curso de Farmácia, instalou caixas de coleta em suas duas unidades – na Avenida Abdias de Carvalho, nº 1678, na Madalena, e em Boa Viagem, na Rua Padre Bernardino Pessoa, nº 512. Os produtos deixados nos pontos, que são abertos ao público, serão separados e destinados corretamente por empresas parceiras.

Continue Reading
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *