Aline Mariano homenageia Cores do Amanhã

Movimento recebeu o Prêmio Resistência nas Artes e comemorou lei que o declara de Utilidade Pública

O Movimento Social e Cultural Cores do Amanhã foi duplamente homenageado na noite desta terça-feira (5). Recebeu das mãos da vereadora Aline Mariano o Prêmio Resistência nas Artes e comemorou a conquista da Lei Municipal 18.621/2019, originada num projeto de autoria da paramentar, que o declara de Utilidade Pública.

“Entendo que a cultura é um mecanismo de transformação da nossa sociedade. E quando falo de transformação, falo no sentido de redução de desigualdades econômicas, políticas e de reconhecimento. Da articulação de uma nova organização social que inclua mais e mais pessoas no espaço público e na tomada de decisões, falo de uma cultura que é capaz de tornar a vida mais justa e mais humana”, afirmou, no discurso, a vereadora.

A solenidade também estava dentro das comemorações dos 10 anos de criação do Cores do Amanhã e aconteceu justamente no encerramento do 8º Encontro Cores Femininas – braço feminista do movimento, que reuniu na cidade do Recife as grafiteiras e mulheres do hip hop.

Presidente e coordenadora do Cores do Amanhã, Jouse Barata agradeceu a homenagem, ao ressaltar a alegria de ver o movimento, fundado no dia 30 de março de 2009, ser elevado com mais esse importante reconhecimento. “Foi com muita alegria que recebemos a notícia de que a vereadora Aline iria fazer essa proposta; Isso demonstra que nós não estamos sozinhas”.

Emocionada, Jouse Barata completou: “Agora, temos a certeza de que podemos dar um passo a mais. Trabalhamos muito nas atividades do dia a dia, estamos sempre na correria, e nunca percebemos o que fazer formalmente para conseguir novas conquistas, como por exemplo concorrer a editais. Agora, como utilidade pública, podemos concorrer. Essa lei nos fortalece como instituição e fortalece os nossos vínculos pessoais e sociais”, afirmou.

O movimento começou a existir na casa de sua mãe, Maria de Lurdes da Silva – primeira presidente, localizado na Comunidade do Totó. Um grupo de jovens grafiteiros (Adelson Boris, Florim, Luther e Jouse Barata), que já atuava em diversas ações coletivas e individuais, no bairro, teve a ideia de fortalecer o atendimento às crianças e jovens de uma forma mais inclusiva e ocupacional.

Hoje, é uma associação sem fins lucrativos, formado por educadores, artistas plásticos, grafiteiros, mc´s, Dj´s , artesãos, músicos e artistas de diversas áreas da cidade. O movimento busca levar ainda mais cultura e cidadania através da arte, dos Esportes e do Hip Hop para centenas de crianças, jovens e famílias. O grupo também faz um trabalho direcionado às mulheres artistas – Grupo Cores Femininas, que vem realizando formações, ações e encontros que reúnem mulheres de dentro e fora do Recife.