Radares na BR 428 foram retirados: alívio para uns, indignação para outros

Motoristas que trafegam com frequência pela BR 428 entre as cidades de Santa Maria da Boa Vista, Orocó e Cabrobó, já deve ter percebido a falta dos famosos guardas eletrônicos que ficam de olho nos veículos que estão entrando no perímetro urbano desses municípios. No ultimo sábado esses equipamentos foram retirados, para muitos motoristas um verdadeiro alivio, já para as pessoas que moram nas imediações da BR se trata de um complicador, pois os motoristas não vão mais se preocupar com a velocidade.

Um motorista disse reservadamente que cada radar retirado é um assaltante a menos na BR, o mesmo aproveitou e fez um apelo ao governador Paulo Câmara e ao presidente Jair Bolsonaro, com seguinte comentário: “já que o presidente mandou acabar com os assaltantes eletrônicos das estradas, seria muito bom que fosse feito investimentos para acabar com os assaltantes humanos. Pois os mesmo além de roubar o que o motorista tem, muitas vezes ainda tira a vida do trabalhador”, disse o motorista.

Outro concorda que os equipamentos eletrônicos até ajudam, pois aqueles motoristas irresponsáveis não querem arriscar com o pagamento de multas. “Por outro lado, nas localidades onde não há vigilância eletrônica os mesmos irresponsáveis andam em alta velocidade. Ou seja, as multas só servem para que alguém seja beneficiado financeiramente”, observa outro motorista. O mesmo ainda diz: “bom mesmo é quando encontramos viaturas de policias nas estradas, aí temos certeza que por ali não têm assaltantes”, completou.

Um motorista disse que já foi assaltado três vezes na mesma noite, duas vezes por andar com medo de ladrão na BR 428 foi pego por assaltantes eletrônicos. A terceira vez foi na BR 323 próximo de Serra Talhada, dessa vez o assalto não foi em silencio e nem a conta foi para a vitima pelo Correio. O mesmo teve que pagar na hora entregando tudo que tinha no carro, sem falar na humilhação que passou e no medo sendo ameaçado a todo o momento. Na verdade a retirada dos radares faz com que motoristas tenham opiniões diferentes.

 

Didi Galvão