Pai do coaching vem ao Recife e ensina como vencer o jogo da mente

Timothy Gallwey, autor dos best-seller The Inner Game of Tennis e The Inner Game (O Jogo Interior), participará do seminário A essência da liderança e do aprendizado por excelência no RioMar Shopping, a convite da consultoria Portela & Cavalcanti

Há um jogo que acontece na mente antes de se perder uma partida de tênis ou até mesmo o emprego. O jogo interior, que se desenrola paralelo ao exterior e pode bloquear o talento de qualquer profissional, será o tema do seminário protagonizado no Recife pelo homem considerado pai do Coaching, pioneiro no movimento da psicologia aplicada ao esporte ao mundo corporativo, Timothy Gallwey. Organizado pela consultoria especializada em gestão comportamental Portela & Cavalcanti, o evento será realizado no Cinemark, do Shopping Rio Mar, no dia 17 de agosto, às 10h. É uma oportunidade única. Tim é autor do best-seller “The Inner Game of Tennis”, ou O Jogo Interior do Tênis, que virou uma filosofia aplicada a todas as áreas da vida. Ele é reconhecido por revolucionar a trajetória de personalidades e estimular a alta performance em empresas de ponta como a Apple, a Coca-Cola e Harley-Davidson.

O seminário terá duração de duas horas e os interessados podem se inscrever pela fanpage Portela & Cavalcanti, no valor de R$ 250. Tim vem ao Recife pela primeira vez como parte de um tour que está fazendo no Brasil, país que assimilou o método desde 2012. Ele aplica a metodologia, totalmente prática e experiencial, como uma missão de vida desde a década de 1970. Na época, Tim estudava literatura em Harvard, mas resolveu trancar a faculdade para se tornar treinador de tênis. “Jogando tênis, ele percebeu que existia um jogo que acontece na nossa mente e que, antes de perder o jogo na vida, a gente perde justamente aqui (nela)”, diz a consultora Adriana Cavalnti Cruz, que será anfitriã de Tim ao lado de Vânia Portela.

 

Segundo Adriana, há duas vozes interior em cada pessoa, uma pronta para julgar, criticar e retirar a autoconfiança e outra para estimular sua essência e levar você a caminhar. “Tim sempre diz o seguinte: ganha o jogo quem calar mais um pouco essa voz do eu crítico e deixar a voz da essência falar mais alto”, declarou. Adriana acrescenta que um dos temas mais explorados por Tim é a necessidade de sempre aprender. “Ele diz que não existe alta performance se você não tiver aprendizado e prazer no seu trabalho (…) O grande inimigo, na verdade, é quando a bola está vindo e você tem que trabalhar o jogo interior”, diz ela, lembrando que a bola pode ser qualquer obstáculo.

 

fonte: diariodepernambuco