Custo de produção da cana-de-açúcar será debatido na Faepe

A Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco (Faepe) realizará na próxima segunda (18), na sede da entidade, um painel sobre os custos de produção da cana-de-açúcar, em Pernambuco.

O levantamento será feito com a participação de produtores e técnicos ligados ao Sindicato dos Cultivadores de Cana-de-Açúcar no Estado de Pernambuco (Sindicape) e à Associação dos Fornecedores de Cana-de-Açúcar de Pernambuco (AFCP), permitindo a atualização detalhada dos custos e que se conheça os níveis de rentabilidade da cultura.

Na ocasião, serão avaliadas despesas aplicadas em mão-de-obra, insumos, tipos de tecnologia e demais processos adotados nas áreas produtoras de cana do Estado.

A apuração já é feita há dez anos pela Faepe, juntamente com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Os dados obtidos a partir do painel formam uma rede atualizada de informações que tem contribuído para que os produtores rurais tenham um melhor parâmetro no gerenciamento das suas propriedades em relação a despesas e receitas obtidas com as atividades e na tomada de decisões do segmento, como o subsídio para propostas de políticas públicas do setor sucroenergético.

De acordo com o presidente da Federação, Pio Guerra, o resultado do último levantamento, realizado ano passado, apontou que o custo de produção da cultura em Pernambuco foi de R$124,17 por tonelada.

“Para 2018, infelizmente a expectativa é de aumento de custos, mas o resultado vai depender da produtividade das lavouras e do reflexo que a queda do preço do açúcar teve no valor do ATR (açúcares totais recuperáveis)”, explica Pio Guerra.

Produtividade – Pernambuco é o segundo maior produtor de cana-de-açúcar do Nordeste, com uma produção de 11 milhões de toneladas registradas na safra 2017/2018. Já o Nordeste produz em média 41,1 milhões de toneladas/ano, o equivalente a 6,5% da produção Nacional.

A iniciativa faz parte do projeto Campo Futuro, A iniciativa faz parte do projeto Campo Futuro, realizado pela CNA, em parceria com o CEPEA/ESALQ, o PECEGE/ESALQ e a UFLA/CIM. Além da cana-de-açúcar, o projeto contempla grãos, fibras, fruticultura, pecuária de corte e pecuária de leite.

 

Edição:Robson Ouro Preto