Consultora de etiqueta dá dicas de comportamento para as festas de fim de ano

A especialista Carmem Peixoto dá dicas para não fazer feio na ceia de Natal e confraternizações de fim de ano.

Não saber o que fazer com o guardanapo de tecido ou a ordem dos talheres na hora de comer são alguns erros comuns em jantares e restaurantes. Para não passar vergonha e cometer gafes durante a ceia de Natal e as confraternizações de fim de ano, a consultora de etiqueta Carmem Peixoto dá dicas sobre como se comportar à mesa, nas festas do trabalho e até no comércio.

Para as confraternizações do trabalho é preciso estar atento também na escolha da roupa. Não se exceder na bebida e não usar decotes exagerados pode evitar comentários desagradáveis posteriormente na empresa. “É um momento leve e de descontração, mas é uma extensão corporativa, é uma extensão do trabalho”, afirma Carmem.

Na mesa, além de não falar de boca cheia, também é preciso conhecer outras normas, como a ordem dos talheres. “Começam sempre de fora para dentro. Da salada até a sobremesa”, afirma a consultora. “Também é preciso lembrar que enquanto o convidado conversa com a pessoa ao lado, os talheres devem descansar dentro do prato”, destaca.

Carmem explica ainda que o guardanapo nunca deve ser pendurado na roupa como um babador, e sim posto sobre o colo, dobrado ao meio. Apenas ao final da refeição, deve ser amassado e colocado em cima da mesa, sempre do lado esquerdo.

Comércio

Manter a fidelidade dos clientes também é um desafio no período de fim de ano. Com o comércio lotado e uma grande concorrência, a loja precisa conquistar a clientela. Carmem Peixoto explica que o bom atendimento e a hospitalidade da equipe podem ser o diferencial do comércio. “A gente conquista não é com o foco no produto, mas na forma de receber, no acolhimento, o contato no olhar com o cliente, na cortesia com que ele é atendido”, afirma.

Outra dica é saudar o cliente, se apresentar e mostrar-se à disposição, mas deixá-lo livre para fazer suas escolhas. Chamar especialistas para dar palestras e convidar os clientes também são opções para aproximá-los da loja, bem como realizar outros eventos. “O importante são as experiências que o cliente vai ter naquela ocasião em que estiver na loja”, garante.

Edição:Robson Ouro Preto